Movimento de fusões e aquisições diminui
   A Merrill DataSite, desenvolvedora de solução de data room virtual (VDR), em parceria com a consultoria Mergermarket, divulgou os números do mercado de fusões e aquisições referentes ao início de 2013, segundo os quais a maior novidade nos três primeiros meses do ano foi o uso de financiamento pelos compradores. As baixas taxas atraíram as atenções, impusionando o mercado de empréstimos em todo o mundo.

Segundo o relatório, as empresas de Private Equity aproveitaram esse cenário, alavancando assim as aquisições. Porém, especialistas alertaram sobre o risco de se estourar uma micro bolha, pois as empresas de Private Equity estariam pagando a mais para os investimentos e taxas mais baixas de juros tendem a tornar os preços dos alvos mais altos.

Dois setores ganharam destaque nos primeiros meses de 2013: Mídia e Consumidor.

Na área de mídia, vimos ganhos impressionantes se compararmos com o mesmo período do ano passado. O volume caiu 7% (63 negociações) mas o valor aumentou em 11 vezes chegando a US$ 46.7 bilhões.

Já no setor de consumo, houve uma queda no volume em 31% (206 negociações) mas em valor, a alta foi de quase 2 vezes o mesmo período de 2012 chegando no valor de US$51.2 bilhões. Esse cenário pode ter sido reforçado pela aquisição da Heinz por uma parceria entre a 3G Capital Partnes e a Berkshire Hathaway.

O ano de 2013 começou com um ritmo mais lento para o mercado de fusões e aquisições na América Latina. As 56 negociações que ocorreram até agora, ou quase a metade da quantidade do mesmo período no ano anterior.

Acredita-se que esta redução tenha relação com a mudança de leis no Brasil. Em maio de 2012, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (CADE) implementou novas regras que regularizam as fusões e aquisições de forma mais rigorosa, além de tornar necessário obter aprovação do governo para tais movimentações.

Apesar desse cenário, as fusões e aquisições devem alavancar devido à proximidade da Copa do Mundo de 2014, principalmente nos setores de infraestrutura e construção.

No Brasil, o grande destaque fica por conta do setor de serviços relacionados à educação. A Abril Educação comprou a Wise Up por US$ 442 milhões em operação que está sendo realizada em etapas. Outro grande destaque do país foi a Vigor Alimentos, que comprou 50% da laticinios Itambé.

O relatório oferece mensalmente uma visão geral do fluxo global de transações por região, detalhando estatísticas transacionais e incluindo comentários sobre América do Norte, América Latina, Europa, Ásia-Pacífico, Oriente Médio e África.

Para baixar o relatório completo, acesse: http://www.datasite.com/relatorioFABrasil